Em Tempos De #AfterSex Selfie Vale Lembrar Que Relacionamentos Alheios Não Nos Dizem Respeito

Desde o advento das revistas de fofoca, nós nos preocupamos demais com relacionamentos alheios. Ou melhor dizendo, com a imagem desses relacionamentos veiculada pela mídia. E, como com tudo relacionado à mídia, pessoas públicas e exposição, esse investimento no amor dos outros só aumentou com o acesso ilimitado à Internet.

Quando casais queridos pelos fãs, como Amy Poehler e Will Arnett ou Gwen Stefani e Gavin Rossdale se separam, a reação online é dramática. Por outro lado, quando casais como Leighton Meester e Adam Brody anunciam casamentos e filhos, a web explode de felicidade (eu, parte da internet, faço o mesmo – minhas críticas aqui valem também para meu próprio comportamento).

Este tipo de investimento nos relacionamentos pessoais de pessoas famosas é intenso e impactante, influenciando as próprias separações. Uma prova disso: casais de Hollywood preferem se separar no verão, por exemplo, por ser uma época de menor exposição midiática. Casais com milhares de seguidores e uma presença online conjunta forte, como Amanda Palmer e Neil Gaiman, ou Kim Kardashian e Kanye West, acabam sendo ainda mais afetados por essas reações.

As redes sociais possibilitam às celebridades construírem sua própria imagem, sem a mediação de uma mídia manipuladora, e diminuem a distância entre os ídolos e os fãs. Em consequência, aqueles que acompanham esses relacionamentos pela curadoria fotográfica exposta no Instagram se sentem próximos, quase como se estivessem acompanhando um casal de amigos, e reagem emocionalmente a notícias positivas ou negativas sobre o casal.

Publicidade

No entanto, a distância menor também significa que os casais em questão têm contato mais direto com as reações dos fãs, sejam elas positivas ou negativas, gerando um certo peso emocional capaz de tornar o processo ainda mais difícil. Imagine estar passando por um término e ter que ouvir centenas de desconhecidos opinando sobre a sua vida afetiva. Todos os detalhes do término passam a ser dissecados, e até a decisão de apagar certas fotos do Instagram após um relacionamento vira assunto para os sites, jornais e revistas.

Parte dessa comoção em torno dos relacionamentos alheios está relacionada muito mais com os nossos desejos e anseios do que necessariamente com o casal em questão. Pode ser porque nos vemos em uma das pessoas, ou porque vemos nosso próprio relacionamento espelhado ali; pode ser porque vemos naquele relacionamento características que desejamos no relacionamento em que estamos ou em possíveis relacionamentos futuros (a hashtag #RelationshipGoals é comum por aí); pode ser porque acreditamos no fato daquele casal representar um ideal de amor romântico que se alinha com o nosso; pode ser porque aquele casal nos faz pensar ou repensar certas coisas sobre relacionamentos.

Como esse interesse intenso no relacionamento dos outros é sobre nós, e não sobre eles, é importante refletir sobre as formas como nós mesmos fazemos isso em nosso dia a dia: seja no caso de celebridades, seja no caso de pessoas as quais de fato conhecemos. Afinal, vemos selfies de casais famosos na mesma timeline do Instagram em que vemos as fotos de nossos casais de amigos, vemos fofocas sobre términos e casamentos de atores de novela no mesmo feed de Facebook onde vemos anúncios de namoros de nossos colegas de trabalho, e é muito fácil reagirmos da mesma forma perante ambos.

Entretanto, é fundamental lembrar que não é porque casais expõem seu relacionamento na internet que eles devem qualquer coisa a ninguém – conhecidos ou desconhecidos – acompanhando do outro lado do computador. Não temos direito de exigir explicações, de pedir mais fotos ou menos fotos, ou de, no geral, interferir no relacionamento só porque nos deparamos com ele toda vez que abrimos o navegador.

Pode ser difícil, na Internet, com a sensação de proximidade permitida pelas redes sociais, determinar limites claros. Difícil, mas necessário. Não esqueçamos que relacionamentos só dizem respeito às pessoas diretamente envolvidas neles, e levar em consideração a privacidade de quem está passando por momentos importantes (para o bem ou para o mal) em seus relacionamentos é fundamental, sejam essas pessoas amigos próximos ou o novo casal dourado de Hollywood.

Ilustração: Mariana Salimena

Gostou dessa matéria? Compartilhe.