Como A Alimentação Vegetariana Melhorou Minha Prática De Yoga

Se houvesse uma distinção entre um bom e mau yogi, eu provavelmente entraria na última categoria. Afinal, eu sou uma bebedora de vinho, comedora de carne que pratica ioga diariamente.

Em um esforço para incorporar holisticamente o espírito da yoga, uma de minhas resoluções de 2017 é me tornar vegetariana. Assim, no curso da meia-noite no primeiro dia do ano, embarquei em uma viagem vegetariana com a meta de permanecer vegetariana por pelo menos um mês e então decidir se isto era algo para abraçar para a vida.

Eu não tinha muita ideia de por onde começar, mas eu substitui minha carne por vegetais, vegetais e mais vegetais. Eu comi de tudo, desde feijões, até folhas verdes escuras incluindo tubérculos. Para manter um estilo de vida saudável, eu deixei de fora junkie food e industrializados e optei por nozes na hora do lanche.

Não é necessário dizer que os resultados foram surpreendentes.

Publicidade

Minha Prática de Yoga Ficou Melhor

A primeira coisa que eu notei nesse processo de vegetarianismo foi as melhorias que eu rapidamente tive na minha prática de yoga na esteira. No nível físico, tornei-me mais flexível. Meus músculos não ficavam tão doloridos como normalmente acontecia na parte da manhã, o que significava que eu poderia me mover para dentro e fora das poses de uma forma mais suave.

Curiosa, fiz uma pesquisa na Internet que me iluminou para o fato científico de que o consumo de proteína animal pode levar a um acúmulo de resíduos de ácido úrico e ácido láctico nos músculos. Esta acumulação eventualmente leva a dor nos músculos e uma taxa de recuperação mais lenta.

Mentalmente, minha mente estava mais clara. Eu consegui me concentrar melhor. Não houve tensão entre minhas sobrancelhas, pois não sentia a necessidade de me esticar ao segurar poses. Eu respirava melhor e me sentia melhor.

Meu Corpo Ficou Mais Leve

Fora do tapete, meu corpo sentiu uma certa leveza que costumava fazer falta. Eu não estava mais arrastando meus pés durante as manhãs. Ao invés disso, eu me sentia ágil. Em vez de fadiga e cansaço, senti-me energizada e pronta para começar o dia. Como mãe de uma criança pequena, minha energia já estava drenada pelo meio-dia, e eu precisava de uma xícara de café forte para conseguir chegar ao final.

Duas semanas depois e eu notei que não tinha tomado nenhuma xícara de café à tarde. Meus níveis de energia se igualaram aos do meu filho (que, pelo fato de se recusar a comer carne, é vegetariano por escolha).

Mais tarde descobri que minha energia extra veio porque minha alimentação baseada em plantas é facilmente digerível pelo corpo, o que melhora a minha energia. Por outro lado, os alimentos animais são mais difíceis de digerir. Quanto mais seu sistema digestivo trabalha para digerir os alimentos, menos energia fica disponível para você utilizar durante todo o dia.

 

 

Eu Tenho Mais Consciência com Relação aos Alimentos

Sem nem mesmo perceber, eu fui ficando mais consciente sobre o alimento que eu coloco na minha boca. No começo, era só uma questão de eu determinar se havia ou não comida “proibida” no meu prato. Mas, com o tempo, comecei a examinar minhas refeições. Eu comecei a pensar sobre a origem dos alimentos e me interessar por seus valores nutricionais.

Se antes eu era ignorante para o tipo de nozes que eu comia, agora estou bem mais ao par de seus benefícios. Eu aprendi sobre a proteína dos feijões e a quantidade elevada de cálcio encontrada no brócolis.

Além disso, eu também cultivava um sentimento de gratidão pelas refeições diárias. Tornei-me grata pelos alimentos que tenho na mesa e estou maravilhada com as providências da Mãe Natureza. Notei uma sensação de totalidade em meu ser por saber que não há crueldade envolvida na nutrição do meu corpo.

Publicidade

Eu vou continuar?

Um mês veio e foi, e eu notei que eu já não procurava mais carne. Eu a tinha eliminado da minha dieta e percebi que eu poderia continuar a viver desta maneira sem sentir uma sensação de perda em qualquer forma ou matéria. O que eu encontrei em vez disso foi satisfação e energia. Continuo na minha viagem vegetariana, e espero, vou torná-loa uma parte permanente da minha vida.

 

Imagens: Unsplash

Texto escrito por Elaine Clara Mah para Vilda Magazine. Elaine é uma professora de yoga novata que acredita na capacidade de apenas alguns minutos de yoga por dia para melhorar o corpo e a mente. Ela também escreve para o bookyogaretreats.com.

Gostou dessa matéria? Compartilhe.
Tags

.