Artikin É O Novo Aplicativo Que Vai Te Aproximar Do Universo Da Arte

Acompanhar as exposições nos museus e galerias não é uma tarefa fácil. Entre espaços públicos e privados, grandes e pequenos, conhecidos ou fora do circuito, acompanhar de perto o que entra e sai de cartaz é quase uma missão impossível. Ou melhor, era. Lançado mês passado, o aplicativo Artikin promete facilitar a vida de quem gosta de arte. O app é um guia cultural que organiza a agenda de exposições e mostras de maneira prática por data de encerramento, em contagem regressiva. A contagem regressiva, inclusive, é o que da o ar da graça ao nome do projeto: Art is ticking (algo como “arte está passando”).

“As exposições que estão prestes a sair de cartaz ficam no topo da lista para que, assim, o usuário priorize suas visitas. Diferentes filtros customizam a visualização da agenda e um mapa indica as expos mais próximas a sua localização atual. É possível selecionar suas expos favoritas e compartilhar em outras mídias o seu próprio roteiro”, explicou o pessoal do Artikin.

Mas muito além de um guia, o aplicativo tem a seção “ROTAS”, que propõe trajetos para o aproveitamento total de um passeio focado em arte. As rotas contemplam diferentes regiões da cidade e indicam as exposições recomendadas pelo app e a sequência mais prática para visitá-las. Na seção “AULAS”, o Artikin lista cursos, palestras e workshops focados em arte. Explorando essa seção, já encontramos coisas interessantes, como o ciclo de debates “Diálogo Sobre o Feminino”, no Centro Cultural Banco do Brasil. Evento gratuito e que acontece entre os dias 09 a 12 de junho, em São Paulo, e parte da pergunta “existe arte feminista no Brasil?”.

Por meio de filtros e tags é possível visualizar apenas as exposições relacionadas a determinadas categorias como #fotografia, #escultura ou #fotografia. A integração com as mídias sociais torna o compartilhamento das exposições favoritas ou visitadas rápido e prático.

Publicidade

artskin-app-corpo

Para além do app, o Artikin vai ter zine, que você pode receber em casa gratuitamente, promover tours com especialistas, um canal no Youtube, que traz aulas sobre conceitos da arte contemporânea e apresenta os períodos fundamentais desta recente história da arte, e uma vitrine destinada a quem quer começar ou ampliar sua coleção de arte com uma seleção especial de obras disponíveis para aquisição.

Eduardo Biz, idealizador do aplicativo, contou o que o moveu a criar o Artikin: “A gente acredita que arte é um privilégio aos que se abrem a esta experiência: a arte é para quem quiser. Aquela imagem do mundo da arte como inacessível e elitista não compactua com nossos valores. Acreditamos que arte deve gerar aproximação, e não afastamento. Artikin é para quem quer vivenciar a arte no seu tempo”, explicou ele.

Por enquanto, o aplicativo é destinado a São Paulo, mas a ideia é que cresça e abranja outras regiões. Para o Artikin, outro desafio é monetizar a plataforma: “Artikin é um projeto independente. Nosso negócio é comunicar arte de uma maneira nova, leve e smart. Isso é o que gostamos de fazer: curadoria e pesquisa de arte. Aos poucos, vamos apresentar ideias e testar suas possibilidades de retorno financeiro. Queremos nos aproximar de instituições e parceiros que nos ajudem a elaborar novos projetos, para que as pessoas visitem cada vez mais exposições e aprendam mais sobre arte”, contou Eduardo.

Baixe o app para IOS ou Android e aproveite tudo que São Paulo tem para oferecer quando o assunto é arte.

Imagem Capa: Time Modefica

Conheça e faça parte do Clube Modefica!
O Modefica é uma mídia independente que pensa moda, arte, alimentação e política para resiliência social e ecológica. Para manter nosso conteúdo aberto e acessível para todas as pessoas, nós precisamos da sua colaboração.
Gostou desse texto? Contribua com o Clube Modefica e ajude nosso conteúdo ir mais longe para amplificar a transformação positiva.
Gostou dessa matéria? Compartilhe.