Migrei de Um Cabeleireiro Hypado Para o Salão Mais Tranquilo da Cidade e Transformei Meu Cabelo no Processo

Ano passado, quando me deparei com essa matéria da Ashlee Piper sobre salões de beleza cruelty-free e vegan-friendly em diversas cidades dos EUA, senti um imenso pesar por não termos nada parecido por aqui. Ir a qualquer salão significava levar junto comigo uma sacola com xampu, condicionador, máscara, finalizador e ainda conferir a marca de tinta disponível para aplicação. Todo o processo logo se tornava mais estressante do que prazeroso.

Desde janeiro desse ano, decidi dar um tempo às idas ao cabeleireiro hypado que frequentava por diversos motivos, um deles era essa dificuldade em encontrar opções realmente práticas e que não fossem contra os meus valores. O tempo passou tão rápido – mais precisamente nove meses -, mas não dava para adiar mais, estava na hora de cortar, acertar a cor, cobrir os brancos precoces etc. Nove meses sem colocar os pés no cabeleireiro foi um novo recorde pessoal.

Eu sabia que estava na hora de arrumar a bagunça, mas não sabia por qual caminho seguir, em qual salão ir e, há 7 anos como ruiva tingida, se já não era tempo de mudar e deixar essa fase para trás. Também surgiu uma vontade sincera de cortar uma boa parte do cabelo, mas ao mesmo tempo não tinha certeza, afinal, desde criança não aderia ao cabelo curto. Estava, claramente, presa entre o passado e o agora.

Logo lembrei de ter recebido um convite há alguns meses para conhecer esse salão na Vila Madalena, em São Paulo, comandado pela Simone, ex-designer e adepta a procedimentos naturais, A Naturalista. Honestamente, existia a dúvida sobre mudar completamente o jeito de cuidar do meu cabelo – apesar de só optar por produtos vegan-friendly e os mais naturais possíveis no dia a dia, estava acostumada com amônia e tintas pesadas para colorir.

Publicidade

Eu passei uns dois dias analisando e ponderando todas as possibilidades, pesquisando sobre as tintas mais naturais, e decidi tentar essa nova experiência. Não poderia ser assim tão complicado. Marquei com a Simone e em poucos dias estava lá, semipreparada para ouvir o que ela tinha para me falar.

 

naturalista-08

naturalista-01

 

Na chegada rola uma confusão, o salão é localizado na parte de frente de uma casa residencial, em uma sala bem pequena com apenas um lavatório e duas cadeiras. Para ser atendido, só com hora marcada e provavelmente não vai ter mais ninguém sendo atendido ao mesmo tempo. O ambiente é gracioso e aconchegante, um verdadeiro refúgio para quem não gosta da agitação e bagunça dos salões convencionais. Nas paredes, várias prateleiras com produtos nacionais e importados naturais, veganos e orgânicos, dos mais baratinhos aos mais caros, para cuidados não só com os cabelos, mas também rosto e corpo.

Antes de qualquer conversa, você receberá uma ficha extensa para contar um pouco sobre você – alergias, hábitos alimentares, doenças prévias – e sobre as coisas que você gosta e não gosta no seu cabelo. Preenchi a ficha, entreguei para a Simone e sentei na cadeira completamente confusa sobre a cor, um dilema tão grande que decidimos deixar a definição da tinta para uma próxima visita.

Porém, estava decidida sobre o corte. Não sairia de lá sem ele. Como Simone checou a ficha sobre o meu desgosto com a oleosidade da minha raiz, ela sugeriu um detox capilar, algo como uma máscara de argila antes. Depois, ela cortou todo o cabelo mais velho e desgastado – eu sai de lá com um corte entre curto e médio, repicado com muito cuidado e maestria. Foi uma renovação total, e eu ainda nem tinha mexido na cor.

Uma semana depois voltei para finalmente fazer alguma coisa com relação à tintura. Estava pronta para voltar às origens, com um tom bem escuro, quase preto. Ela resolveu fazer com henna profissional – da Surya Brasil – assim, se eu não me acostumasse, não teria problema, a cor desbotaria dentro de um mês. Em duas idas à A Naturalista eu passei de ruiva à morena, de cabelo longo à curto e 100% feliz com o resultado. E o detox capilar ajudou a reduzir perceptivelmente a oleosidade, exigindo menos lavagens durante a semana.

 

naturalista-05

naturalista-03

naturalista-04

 

A conta, para quem estava nove meses sem ir ao salão e acostumada com procedimentos caros, foi bem tranquila: R$ 160 a coloração + R$ 180 o detox capilar. O corte ficou por conta da casa. Sem dúvidas será a Simone a responsável por manter meu corte e a coloração em dia quando a henna caseira não der mais conta do recado. Para quem estava tão indecisa e com pé atrás, a experiência foi ótima e libertadora.

Se você está acostumada com salões convencionais, vale ressaltar a proposta totalmente slow da Simone e ir preparada para um momento diferente. Ela faz os serviços com toda a agilidade, mas o ambiente pede uma certa desconexão com o ritmo frenético sob o qual vivemos. Nas mídias sociais, não estranhe a falta de atualizações frequente. Como é Simone quem cuida de tudo, o grande foco está em oferecer um serviço diferenciado. Além dos cabelos, A Naturalista oferece serviços de cuidados faciais e make up. Para saber mais, acesse o site.

Conheça e faça parte do Clube Modefica!
O Modefica é uma mídia independente que pensa moda, arte, alimentação e política para resiliência social e ecológica. Para manter nosso conteúdo aberto e acessível para todas as pessoas, nós precisamos da sua colaboração.
Gostou desse texto? Contribua com o Clube Modefica e ajude nosso conteúdo ir mais longe para amplificar a transformação positiva.
Gostou dessa matéria? Compartilhe.
Tags

. .