Se Adaptar Com O Coletor Menstrual É Mais Fácil Do Que Parece

Eu admito ter demorado uns dois ou três ciclos para substituir os absorventes pelo coletor menstrual depois de já ter ganhado um e até mesmo abraçado a ideia de que precisava, finalmente, fazer essa transição.

Para quem nunca usou o coletor, simplesmente desempacotar um absorvente e colar na calcinha parece infinitamente mais fácil do que fazer uma certa ginástica para inserir o copinho no lugar certo. E é. Ter afinidade com o coletor vai exigir um pouquinho de prática, mas só vai rolar se você tentar.

As minhas três primeiras tentativas foram um fracasso total. Eu dobrava o copinho conforme as instruções, deitava, me agachava e simplesmente não ia. Depois de alguns minutos tentando, eu desistia e deixava a tarefa para uma próxima vez. Cheguei até pensar que precisava de um outro tamanho (existe P, M ou G ou A e B), mas vi que o problema não era esse porque estava com o tamanho indicado para o meu tipo de corpo.

Finalmente, após algumas investidas, deu certo. Ou quase. Depois de colocar o copinho, você precisa garantir que a boca dele desdobrou e está tudo em ordem. Se a boca do copo não desdobrar, vai acontecer um pequeno vazamento e foi exatamente o que aconteceu comigo. Eu tirei o copinho e lá fomos nós de novo. Eu estava obstinada a conseguir, afinal, não era possível tantas mulheres alçarem tal façanha menos eu.

Publicidade

Alguns experimentos depois, de agachar e levantar, de ficar tentando acertar a posição com ele já lá dentro, e rodar o copinho pelo puxador para garantir que estava tudo em ordem, eu finalmente consegui inserir o copinho da maneira correta e me sentir segura com ele lá dentro.

Remover o copinho depois do uso pode ser outra função complicada para algumas meninas. Li um relato de uma garota que simplesmente ficou desesperada por não conseguir tirar o coletor menstrual depois de ter usado por algumas horas. Ela chorou e ficou desesperada por achar que a única solução seria ir ao hospital para retirá-lo.

Por mais que o copinho suba e você tenha dificuldade em encontrar a pontinha, não tem como o coletor “se perder” dentro de você. Se ele subir um pouco além da conta, basta fazer força para empurrá-lo para fora até seus dedos alcançarem o puxador e você conseguir removê-lo. Não se desespere. Respire e empurre com força.

Não é difícil se acostumar com o coletor. Pelo contrário. Ele é totalmente libertador por permitir usar biquini mesmo naqueles dias, não causar desconforto e irritação na pele, que fica ainda pior no verão, e ainda é super econômico (nunca mais você vai precisar comprar pacotes e pacotes de absorvente) – um coletor menstrual de silicone dura cerca de 10 anos.

coletor-holy-cup-como-usar
<centerImagem: Coletor Menstrual Holy Cup // Time Modefica

Por Que Optar Pelo Coletor?

Além das questões ambientais envolvidas nos absorventes (não biodegradável, obviamente não recicláveis e testado em animais), existem alguns problemas com os absorventes descartáveis, principalmente os internos, no que tange questões de saúde vaginal que também me levaram a pensar melhor sobre o uso do coletor.

Os absorventes são feitos de algodão e plástico. O algodão dos absorventes vastamente disponíveis no mercado é cultivado de maneira tradicional, ou seja, é repleto de pesticidas, herbicidas e fungicidas; depois, esse algodão passa por um processo de higienização e clareamento com cloro. Gels absorventes, perfumes, anti-odores e cola são necessários para transformar esse algodão em um absorvente descartável. Por esse alto número de químicos, é possível atribuir aos absorventes o surgimento de alergias, candidiase, síndrome de choque tóxica (TSS) e até o aumento das cólicas uterinas.

Apesar de existir há décadas, o uso do coletor menstrual começou a se popularizar esse ano. Além dos motivos já citados, outras questões socioculturais envolvendo o copinho também permitiram ele ganhar espaço na rotina de mulheres pelo mundo todo. Em muitos países, o coletor menstrual serve como ferramenta de empoderamento, libertando mulheres para trabalharem, estudarem e até mesmo frequentarem lugares públicos.

E não é só ai que o uso do coletor menstrual tange questões de liberdade feminina. O coletor exige termos afinidade com o nosso corpo e exige tocarmos a nós mesmo. Coisa que muita mulher não faz. É preciso conhecer um pouco da nossa fisiologia íntima para entender o funcionamento do coletor. Além do mais, o coletor permite quebrar a barreira do “nojo”, muito imposta pela cultura, para com algo tão natural, sadio e rotineiro que é a menstruação saudável, já que exige contato com o sangue e com a nossa vagina.

Quem Pode Usar?

O coletor é indicado para todas as mulheres não virgens, já que, assim como o absorvente interno, ele pode causar rompimento do hímen. É claro, essa questão é completamente pessoal e perder a virgindade vai muito além do hímen, mas a decisão tem que ser totalmente pessoal por isso é importante deixar esse aviso.

Publicidade

Existe uma série de alternativas no mercado como o InCiclo, Lunette e Holy Cup. O meu é o Holy Cup original também M. No começo, é preciso um pouco de paciência para entender a melhor forma de colocá-lo e de tirá-lo, mas, sem exagero, vai ser uma das melhores mudanças de hábitos para você (e sua vagina).

Ilustração: Isis Ibaibarriaga

Conheça e faça parte do Clube Modefica!
O Modefica é uma mídia independente que pensa moda, arte, alimentação e política para resiliência social e ecológica. Para manter nosso conteúdo aberto e acessível para todas as pessoas, nós precisamos da sua colaboração.
Gostou desse texto? Clique aqui e contribua com o Clube Modefica e ajude nosso conteúdo ir mais longe para amplificar a transformação positiva.
Gostou dessa matéria? Compartilhe.
Tags

.