apoie o modefica

Somos uma organização de mídia independente sem fins lucrativos. Fortaleça o jornalismo ecofeminista e leve a pauta mais longe.

Japão E África Se Encontram Na Parceria Feita No Brasil Da Kimonaria E Okan

Publicada em:
Atualizada em:
Texto
Imagens
min. tempo de leitura
Share on twitter
Share on pinterest
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Pense em kimonos feitos com tecidos africanos por 2 marcas brasileiras. Essa mistura inusitada é resultado da parceria entre a marca paulista de kimonos, Kimonaria, e a marca também paulista, Okan. São 12 estampas e apenas 24 peças numeradas em um coleção super exclusiva cuja versatilidade e atemporalidade, tanto das formas quanto das estampas, são características essenciais.

Os tecidos africanos, ou panos (como eles são conhecidos na África), foram comprados nos mercados do Senegal e Benin, esse último sendo o país de origem da família de Tania Sidokpohou, uma das mentes criativas por trás da Okan.

Cada uma das 12 estampas tem uma história para contar e um significado diferente. A padronagem Kente, por exemplo, remete aos tecidos de tear tradicionais da Costa do Ouro tidos como identidade dos reis Ashanti, um império pré-colonialista poderoso cuja monarquia se estende até hoje na República de Gana.

okankimonaria4cópia

okankimonaria1cópia

okankimonaria2cópia

Já o tecido Block Printing traz uma padronagem gráfica estampada com carimbos de madeiras, uma das técnicas mais antigas e mais trabalhosas da estamparia artesanal. O desenho é transferido para a madeira através da técnica de xilogravura e a estampa é feita com carimbadas contínuas de pigmentos naturais.

Além desses dois tecidos, a coleção conta também com os panos Seshweshwe tradicionais da África do Sul. Uma das características deste tecido é o efeito dupla face, cada lado tem uma estampa diferente, mas ambas muito similares. As padronagens são menores e elegantes, frequentemente usadas nas camisas de Nelson Mandela.

Gamou? Nós também. Por isso não perderemos o lançamento da coleção no sábado, 24/10, das 12h às 20h na Rua Itamirindiba, casa 3, Pinheiros, das 12h às 20h.

Imagens: Cortesia Kimonaria

* * *

Jornalismo ecofeminista a favor da justiça socioambiental e climática

Para continuar fazendo nosso trabalho de forma independente e sem amarras, precisamos do apoio financeiro da nossa comunidade. Se junte a esse movimento de transformação.

Continue lendo