Prettynew Busca Promover a Economia Circular no Mercado de Luxo

“Apresentado por prettynew

Pensar em outras formas de consumir produtos de moda e luxo e por um lado, incentivar o público a desapegar e, por outro, preferir os itens seminovos aos novos. Esta é a ideia do Prettynew, e-commerce dedicado a comprar e vender produtos de luxo seminovos, 100% autênticos, de forma rápida, simples e segura. Mas a plataforma fundada por Gabriella Constantino Leal, em 2014, não se resume somente a isso – seus seis anos de estrada se dedicam a trazer para seus usuários e público fiel o debate sobre a economia circular, trabalhando, de forma leve e dinâmica, o impacto que pequenas ações pessoais podem trazer para o mundo.

O Prettynew trabalha com peças variadas, como: roupas, bolsas, sapatos, acessórios em geral – tanto femininos quanto masculinos – e produtos infantis. Curadoria e autenticidade são duas grandes preocupações do negócio, num processo cuidadoso e que começa quando o produto enviado para revenda passa pelo processo de avaliação que analisa o material, a costura, as ferragens, a marca (o monograma) dentro da peça e o código de série. “Nossas peças são ‘pretty new’, como se diz o nome, ‘bem novinhas’”, explica Gabriella, “não temos muitas peças usadas, fazemos uma curadoria de tudo que chega pra gente. Muitas vezes, o cliente comenta ‘nossa, mas essa é a foto do produto?’ e pede outras, vídeos, fica desconfiado de tão perfeito que é”. Às vezes, também aparece por lá peças raras e vintage.

A ideia do e-commerce surgiu de uma vontade de unir um gosto pessoal, a moda, com ter o próprio negócio. Quando fez faculdade em Londres, Gabriella conheceu o conceito de garimpo, a cultura do vintage, de preferir algumas peças únicas, autênticas, a grandes quantidades de roupas. Ela trouxe de volta ao Brasil a ideia deste universo e uniu à oportunidade da época, ao ver um mercado de luxo de segunda mão já com alguns brechós pioneiros, mas com ainda com muito espaço para expansão. “Nos primeiros anos, foi difícil quebrar esse preconceito [com uma peça usada], fazer com que as pessoas aderissem ao nosso propósito, mas percebo que é algo que vem mudando muito ao longo dos últimos cinco anos”, afirma.

Mas Gabriella também enxerga seu negócio como uma forma de plantar uma semente: é por meio da plataforma que a maior parte do público da Prettynew tem o primeiro contato com ideias como consumo consciente, comprar de segunda mão, economia circular, reaproveitamento. A partir desse primeiro contato, fornecedoras passam a serem clientes, clientes passam a utilizar o espaço também para vender peças paradas. Como o valor dos produtos chega a quase metade do valor original na loja oficial, essa também é a oportunidade de muitas pessoas de comprarem uma peça há tempos vêm namorando. Posteriormente, essa nova cliente acaba virando uma fornecedora também – ao revender o produto de volta para a Prettynew num ciclo fechado.

Publicidade

O fornecedor do e-commerce é qualquer pessoa que queira vender uma peça que esteja parada no armário. Atualmente, o leque de fornecedores vai de todos os cantos do Brasil ao exterior. Gabriella explica que cada caso é personalizado e combinado mas, de forma padronizada, o Prettynew trabalha em consignação – você pode conferir os detalhes aqui. O fornecedor envia as peças para serem avaliadas pela curadoria; ao serem aprovadas, a equipe organiza, fotografa, cadastra, precifica e vende o produto. “Nós fazemos tudo pelo fornecedor – esse é o nosso diferencial perante outras plataformas de venda. Quando o produto é vendido, ele recebe um e-mail nosso avisando que, em até 30 dias, a gente transfere o valor combinado”, explica Gabriella.

Quando a peça é vendida, a plataforma busca fomentar o ciclo. Junto com o aviso, o fornecedor recebe uma mensagem dizendo que ele pode utilizar seu crédito para comprar dentro do site, ganhando 10% de desconto na peça escolhida. O intuito é que ele compre uma peça semi-nova e não use esse dinheiro para comprar outra nova.

 

Blazer vintage Thierry Mugler // Foto: Alice Leite

O investimento no offline

Apesar do carro chefe do Prettynew ser o e-commerce, por uma demanda dos clientes, Gabriella também abriu um showroom em Brasília. O espaço, que sempre existiu para o estoque e para as operações da empresa, acabou evoluindo, melhorando, e focando em ser um ambiente para receber clientes. “Foi uma coisa meio natural. Elas olhavam o site, gostavam, mas queriam ver as peças pessoalmente, tinham uma certa insegurança”, relembra Gabriella, “aí decidimos abrir o showroom, onde a gente faz um atendimento com hora marcada”. A experiência teve resultado positivo: muitas novas clientes passaram a visitar o local, conhecer a equipe, o que gerou uma credibilidade e confiabilidade na marca. Muitas delas, Gabriella afirma, compram hoje no site sem desconfiança nenhuma.

Assim como diversas empresas, o Prettynew teve os planos de 2020 totalmente interrompidos pelas condições adversas do novo coronavírus. O planejamento de reforçar a presença fora das mídias está em espera, mas deve seguir assim que possível e, com isso, deixamos um gostinho do que está por vir: o e-commerce ganhará espaços em lojas multimarcas referências no Brasil, um em Curitiba e outro em São Paulo. “É uma forma de levar essa experiência (do showroom) para nossos clientes de outros estados. Hoje, a gente vende mais para fora do que para Brasília mesmo”, explica Gabriella. O Prettynew Experience é outra ação, feita para trazer um grupo de pessoas para conhecer o showroom, a equipe e Brasília em 48h. Outro plano, que seguirá assim que os envios de empresas de transporte de normalizarem, é o site internacional.

O que continua na ativa são os projetos beneficentes. O projeto contínuo #Sharelove existe há quatro anos e funciona em conjunto com as vendas do site: todo produto que é vendido, R$ 10 é doado para uma instituição, através do Projeto Pólen. A doação é feita mensalmente. O projeto faz uma seleção de instituições, que mudam após um determinado tempo, e recebe doações de diversas entidades e pessoas físicas.

Já outras ações maiores são feitas eventualmente. Em 2018, o Prettynew promoveu uma arrecadação de dinheiro e livros para crianças do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB). Esse ano, em junho, acontece um bazar em parceria com a Silvia Braz, no qual 100% do valor arrecadado será revertido para uma instituição que luta contra a Covid-19. Informações sobre o bazar acontecem nas redes do Prettynew, fique de olho no site e no Instagram.

Conheça e faça parte do Clube Modefica!
O Modefica é uma mídia independente que pensa moda, arte, alimentação e política para resiliência social e ecológica. Para manter nosso conteúdo aberto e acessível para todas as pessoas, nós precisamos da sua colaboração.
Gostou desse texto? Clique aqui e contribua com o Clube Modefica e ajude nosso conteúdo ir mais longe para amplificar a transformação positiva.
Gostou dessa matéria? Compartilhe.
Tags

.