Será Que Fazer Você Mesmo Os Seus Cosméticos É A Melhor Saída?

O movimento de pessoas interessadas em fazer os próprios cosméticos é crescente. Em partes, porque fazer você mesmo é uma forma de liberdade. Você não depende totalmente da indústria, sabe exatamente (ou quase) o que está passando na pele, não precisa se preocupar com os testes em animais ou ingredientes de origem animal – considerando as matérias-primas in natura e de origem vegetal, além de poder testar diversos ingredientes diferentes até achar o perfeito para seu tipo de pele.

Outro motivo responsável por aumentar o número de adeptos aos cosméticos diy (do it yourself ou faça você mesmo) é se livrar, em partes, de muitas embalagens. É claro, a maioria dos ingredientes in natura vêm, inevitavelmente, embalados, mas normalmente existe a possibilidade de comprar embalagens maiores que rendem diversos outros produtos.

Por aqui, nós já demos algumas dicas de produtos cosméticos para fazer você mesmo. De cuidados para cabelo, máscaras faciais e até desodorante. São receitas testadas e aprovadas por muita gente e que podem dar certo para muitas outras pessoas em busca de deixar a rotina de beleza cada vez mais natural.

Entretanto, nem sempre é assim tão simples fazer seu próprio cosmético. É preciso conhecer a sua pele e cabelo e como os ingredientes naturais irão agir neles. Afinal, pode não parecer, mas mesmo as marcas de cosméticos naturais têm que fazer muita pesquisa para chegar em resultados satisfatórios para os clientes, trazendo soluções e felicidade, ao invés de problemas.

Publicidade

Soraia Zonta, fundadora da Bioart, empresa brasileira reconhecida por ser a primeira em território nacional a produzir maquiagens e tratamentos faciais a partir de ingredientes naturais e orgânicos, confessa ser apaixonada por fazer os próprios cosméticos e que a Bioart nasceu de sua necessidade por produtos mais naturais e não alergênicos. Porém, ela não deixa de lembrar sobre os cuidados necessários na produção do cosmético natural.

“Apesar de adorar fazer eu mesma, testando muitos ingredientes em minha pele, me especializei na Associação Brasileira de Cosmetologia para poder preparar cosméticos com segurança. Possuo pele muito sensível a ingredientes sintéticos e tóxicos, minha pele reage imediatamente, por isso posso afirmar que alguns tipos de pele precisam de cuidados diferenciados e seguros”.

Para ela, quando a pessoa é leiga na escolha dos ingredientes, possui pele com alergias, desequilíbrio ou com enfermidades como psoríase, rosáceas, e outros desconfortos é importante ficar atento aos riscos de usar cosméticos feitos em casa. A especialista também alerta para a concentração incorreta dos ingredientes e o uso de produtos de origem vegetal que podem ser comendogênicos e mais prejudicar do que ajudar, além de matérias-primas de procedência duvidosa.

“Outro item que me preocupa, por exemplo, é quando vou a casas de produtos naturais e vejo argilas à venda por um preço muito barato e sem apresentar a composição ou certificação de fonte de origem. As argilas tanto podem ser milagrosas, quanto podem ser contaminadas com metais pesados e outras toxinas, e até mesmo agrotóxicos que estão na fonte. Entre outros exemplos que poderia ressaltar, cito as argilas por ter mais de 10 anos de experiência e pesquisa nesta área e por saber que este é um ingrediente referido inúmeras vezes para uso em máscaras caseiras”, explica Soraia.

A dermatologista especialista pela UFRJ e SBD, Dra. Patricia Aguiar Silveira, vê a onda do faço-você-mesmo como positiva, pois demonstra o interesse e uma procura por produtos mais naturais, livres de químicas e ingredientes sintéticos que causam risco à saúde. Mas, para ela, escolher produtos cosméticos certificados como orgânicos e registrados pela Anvisa, produzidos por empresas responsáveis e éticas, é a melhor opção.

“Produtos feitos em casa podem não ter tanta segurança e controle de qualidade, pois as concentrações dos ingredientes podem sofrer mínimas variações comprometendo a estabilidade do cosmético. Outra questão são os ingredientes usados, sua procedência e qualidade. Se em uma empresa, com todos os controles de lote, fornecedores de ingredientes e ambiente higienizado de forma específica, ocorrem problemas de fabricação, imagina numa produção caseira”, explica Patricia.

Para a dermatologista, algumas pessoas e determinados tipos de pele podem se beneficiar das pesquisas e tecnologias envolvidas nos cosméticos industrializados. “Por exemplo, manchas e hipercromias são mais controladas com multiativos associados (ácidos, clareadores e antioxidantes) que atuam de diferentes maneiras no controle da pigmentação. Produtos industrializados que associam ativos e ingredientes naturais com tecnologia como as nanoparticulas e susbtâncias antioxidantes são diferenciais que os diy não possuem”.

Um dos nomes mais conhecidos quando o assunto é cosmética natural e orgânica, Ananda Boschilia, responsável por trazer a Alva, empresa alemã de cosméticos naturais e orgânicos, para o Brasil, compartilha do posicionamento de Soraia quando o assunto é cosméticos feitos em casa e a necessidade de ficar atenta.

“Sou super a favor dos cosméticos diy até porque as matérias primas que mais fazem efeito positivo na pele são de origem natural, mas algumas pessoas não podem usar certos ingredientes naturais por alguma sensibilidade ou mesmo a quantidade de matéria-prima usadas nos cosméticos caseiros não são indicadas e medidas para aquela pessoa com sensibilidade”, contou Ananda.

Mas não é oito nem oitenta quando o assunto é fazer seus cosméticos. Ananda dá a dica de fazer testes em pequenas quantidades dos cosméticos diy. Se não der certo ou se você preferir a comodidade, escolha marcas com produtos naturais e orgânicos.

“Existem fórmulas caseiras de máscaras hidratantes capilares que usam, por exemplo, óleo de coco, abacate etc que são super seguras e eficazes com praticamente nenhum risco na sua utilização. Outras [receitas] de esfoliantes faciais com açúcar, aveia e mel, que também são seguras. Mas se você procura produtos mais elaborados, e que tenham testes de segurança, ou se você tem uma pele sensível ou alérgica, procure usar produtos dermatologicamente testados préviamente, que sejam produzidos por uma empresa registrada e tenha um farmacêutico responsável”, indica Patricia.

A dermatologista lembra de algo importante, principalmente se você for comprar cosmético caseiro e natural de uma terceira pessoa: “Os cosméticos caseiros são preferidos por pessoas que optam por produtos mais naturais independente do tipo de pele, mas o fato de serem caseiros não dá a certeza de serem 100% naturais. O importante é verificar os ingredientes da fórmula, pois não adianta ter um extrato botânico e um conservante como parabeno ou propilenoglicol, sintéticos e nada saudáveis. As peles sensíveis ou alérgicas a cosméticos têm mais indicação de uso de cosméticos naturais, pois devem ser livres de corantes e fragrâncias sintéticas que são grandes causadoras de alergias cutâneas”.

Publicidade

Quem tiver com viagem marcada, a dica da Soraia é passar pela Aroma Zone em Paris: “Uma dica super especial para quem ama cosméticos naturais e orgânicos, é visitar uma das lojas da Aroma Zone em Paris, a empresa vende todos os produtos e ingredientes para elaborar seus próprios cosméticos diy com mais segurança”.

Na hora de escolher o seu cosmético, leve em consideração seu tipo de pele e o que você precisa do produto. Meninas com peles acneicas, sensíveis e com problemas mais sérios precisam ser acompanhadas por um dermatologista. Quando for colocar a mão na massa, entenda o funcionamento dos ingredientes e faça pequenos testes antes de aplicar no rosto, corpo e cabelo por inteiro, dê preferência por matérias-primas orgânicas e evite misturas muito mirabolantes. É possível se beneficiar da tecnologia envolvida na indústria cosmética e é possível se beneficiar da simplicidade dos cosméticos feitos em casa. Basta fazer as duas coisas com sabedoria e atenção.

Ilustração: Time Modefica

Gostou dessa matéria? Compartilhe.
Tags

. .