Organização de mídia, pesquisa e educação sem fins lucrativos que atua por justiça socioambiental e climática por meio de uma perspectiva ecofeminista.

pesquise nos temas abaixo

ou acesse as áreas

apoie o modefica

Somos uma organização de mídia independente sem fins lucrativos. Fortaleça o jornalismo ecofeminista e leve a pauta mais longe.

Como Funciona Uma Biblioteca De Roupas? Por Trás Da Lena E Da Kleiderei

Publicada em:
Atualizada em:
Texto
  • Livia Rocha
Imagens

Reprodução

2 min. tempo de leitura
Share on twitter
Share on pinterest
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Imagine ter um armário com possibilidades quase infinitas de combinações, sem precisar de um espaço dedicado a ele, por um valor relativamente pequeno e abandonando aquele sentimento de culpa que nos assombra toda vez que compramos algo por impulso. Essa é a ideia da LENA (The Fashion Library).

O espaço funciona em Amsterdã, como uma biblioteca de roupas femininas onde você encontra peças vintage e de novos designers para se apaixonar, levar para casa, usar e devolver quando quiser – claro, limpinhas e de preferência no mesmo estado em que as encontrou!

As irmãs Elisa, Diana e Angela Jansen se juntaram à amiga Suzanne Smulders para criar o projeto, como alternativa ao consumismo no qual estamos acostumadas e em resposta ao triunfo da moda fast-fashion. Elas fazem uma minuciosa curadoria das peças e não aceitam nada que não seja de alta qualidade e estilo singular.

Dentre as marcas parceiras (e disponíveis para troca) da LENA estão novas designers empenhadas em incorporar alternativas sustentáveis às suas coleções. Um exemplo delas é Lisa Konno que neste ano fez seu primeiro desfile na Fashion Week holandesa e desenvolve peças com tecidos reciclados. Outra marca relevante é a MLY, criada por Emily Hermans e que usa tecidos certificados e fibras biodegradáveis em suas criações.

Ok, mas na prática como isso funciona? Primeiro você precisa se cadastrar e escolher entre as três opções de planos mensais disponíveis para os seus empréstimos: o mais barato deles custa 19.95 euros e te dá direito a 100 pontos. Existem também as opções de 200 e 300 pontos.

biblioteca-de-roupas-lena-4
biblioteca-de-roupas-lena-3

Na loja, cada peça recebe uma pontuação ao ser avaliada por sua singularidade, qualidade e estilo, logo você troca seus pontos de acordo com as pontuações das peças. Por exemplo: você assina o plano de 100 pontos/mês, então poderá pegar emprestadas duas peças de 25 pontos e 1 de 50, ou duas de 50. Você as usa por um determinado tempo e quando cansar delas, as devolve e troca por outras peças. Ah, e tem mais uma coisa, se o status do relacionamento passar de “amizade colorida” para “amor eterno”, você pode comprar a peça que ganhou o seu coração.

E não vá pensando que essa é a única biblioteca de roupas que existe. A primeira iniciativa da qual se tem notícias é a alemã Kleiderei, que fica em Hamburgo e foi lançada em 2012 pela dupla Pola Fendel e Thekla Wilkening. A loja tem como lema “lend like a friend” (“empreste como um amigo” em tradução livre) e teve o apoio da Mercedes Benz, que durante o Fashion Week de Berlin promoveu o slogan “Fast cars, slow fashion!”.

biblioteca-de-roupas-Kleiderei

O incrível da LENA, e de todas as outras bibliotecas de roupas que podem existir por aí, é que as viciadas em moda (como eu) mantêm uma variedade infinita de opções, sem incentivar o consumo frenético que acaba gerando desperdício e rombos na conta bancária. Além disso, facilita o acesso à moda sustentável, que hoje é tão cara e rara, e aos novos designers, que geralmente são difíceis de encontrar. Ideia para copiar e reinventar!

* * *

Jornalismo ecofeminista a favor da justiça socioambiental e climática

Para continuar fazendo nosso trabalho de forma independente e sem amarras, precisamos do apoio financeiro da nossa comunidade. Se junte a esse movimento de transformação.