“Clima no Palanque” é Guia Prático de Como Votar Pelo Clima nas Eleições 2020

Essa é a década das grandes mudanças socioeconômicas necessárias frente à crise climática e de debatermos extensivamente sobre políticas públicas voltadas ao clima. É também uma década onde já estamos presenciando o aumento da temperatura global e eventos climáticos extremos. É o “agora ou nunca” e não temos mais como esperar para agir. Por isso, o Modefica e o Clima de Eleição se juntaram para te lembrar como e porquê é hora de votar pelo clima nas eleições municipais 2020 – e em todas as outras.

O Clima de Eleição é uma campanha para qualificar a discussão sobre a crise climática nestas eleições. Além de compartilhar informações importantes acerca de justiça social e climática, e o que lideranças políticas devem fazer a respeito, a equipe do Clima também preparou um curso online e gratuito para as candidatas e candidatos entenderem o tema e se comprometerem com a agenda do clima.

Acreditamos que juntos somos mais fortes, vamos mais longe e por isso te convidamos a ler, compartilhar e colocar em prática esse material para que mais pessoas entendam a urgência climática e votem de acordo.

No e-book Clima no Palanque: Mudanças Climáticas, Eleições e Futuro, te propomos a entender as relações entre justiça social e climática; aprender a encontrar propostas sobre mudanças climáticas na agenda do seu candidato/a; entender propostas importantes sobre clima; ver dicas de como chamar seu candidato/a para conversar sobre o assunto e de como influenciar ativistas a pensarem em clima. Junto com o pdf, você recebe artes compartilháveis para mídias sociais. Nas redes do Modefica e do Clima de Eleição também tem muito material facilmente compartilhável para fazer família e pessoas amigas a entrarem no clima. Vem somar com a gente!

Publicidade

Na parte 1 trazemos a pergunta: Por que falar de clima agora? São diversos motivos, mas te explicamos rapidamente alguns, como um já levantado no início: não temos muito tempo. Apesar de soar aterrorizante que cientistas já tenham definido um período de aproximadamente 10 anos para reduzirmos expressivamente as emissões de gases de efeito estufa (GEEs) para evitar cenários extremos com a crise climática, esse fato deve servir de combustível para que cobremos atores políticos a realizarem mudanças reais em nossa sociedade. Desde melhorias no saneamento básico – que já se provou um fator importante para a crise de saúde pública do novo coronavírus – a sanções ou outros incentivos para que empresas se responsabilizem pelas emissões de toda sua rede produtiva.

Falamos também sobre como as cidades são vulneráveis e porquê as ações necessárias não virão de Brasília. Mas existem alguns pontos positivos. Por exemplo, não precisamos inventar a roda. Já existem tecnologias necessárias, casos de sucesso no mundo inteiro, profissionais dispostos a se dedicarem unicamente a esta causa. E, claro, todos ganhamos com isso. Imagine uma cidade menos poluída, mais preparada para eventos extremos, mais justa. Ela pode existir e você pode torná-la real.

Na parte 2 demos dicas de como você pode entender propostas e ler planos de governo com a lente do clima. Candidaturas ao executivo municipal (prefeitura) são obrigadas a apresentar ao Tribunal Superior Eleitoral um plano de governo com intenções para a sua gestão caso eleita. Você encontra essas informações no site Eleições Municipais 2020 – também é possível acessar seu histórico em eleições passadas, as fontes de financiamento e seu patrimônio declarado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Apesar das candidaturas à vereância não serem obrigadas a apresentarem planos para sua gestão, a recomendação é que você investigue as redes sociais das candidaturas e seus sites. Nesse período, o pessoal costuma ser mais acessíveis a conversas diretas. Caso não encontre ações muito claras sobre meio ambiente e mudanças climáticas, não tenha medo de perguntar diretamente para seu candidato ou candidata.

Também elencamos 11 propostas importantes sobre clima para avaliar em planos de governo e em comprometimentos das candidaturas como: mobilidade; resíduos; saneamento básico; educação; espaços públicos; agricultura e alimentação; drenagem urbana; energia; infraestrutura e construção; planejamento e participação social. Não é incrível que todos esses assuntos estejam interligados quando pensamos em meio ambiente e mudanças climáticas?

Na parte 3 a proposta é chamar a galera para o papo e ajudar a garantir o clima certo. E você sabe por quê isso é tão importante? Independente do partido, alguns valores são recorrentes na narrativa das pessoas que estão candidatas como trabalhar por uma cidade melhor, mais saudável, por exemplo – elementos comuns no discurso eleitoral. Muitas candidaturas, inclusive, já estão engajadas com isso de alguma forma, mas ainda não internalizam a ação climática em suas agendas por falta de contato com o assunto ou de conhecimento.

Te damos 5 dicas de como você pode conversar e convencer as candidaturas que, ao adotar a agenda de justiça climática, elas podem agregar mais valor para as suas campanhas. As dicas também se estendem a ativistas e influencers. Como cereja do bolo, deixamos 5 pautas do Modefica sobre justiça social e climática pra você se ligar que agir agora pelo clima é tornar nossas cidades mais justas e sustentáveis, é prevenir a intensificação das diversas violências impostas pelo nosso atual modelo de desenvolvimento sobre as pessoas e é garantir justiça social.

 

Ebook Clima no Palanque: Mudanças, Eleições e Futuro

Clique Aqui e Baixe

 

Conheça e faça parte do Clube Modefica!
O Modefica é uma mídia independente que pensa moda, arte, alimentação e política para resiliência social e ecológica. Para manter nosso conteúdo aberto e acessível para todas as pessoas, nós precisamos da sua colaboração.
Gostou desse texto? Clique aqui e contribua com o Clube Modefica e ajude nosso conteúdo ir mais longe para amplificar a transformação positiva.
Gostou dessa matéria? Compartilhe.
Tags

.