apoie o modefica

Somos uma organização de mídia independente sem fins lucrativos. Fortaleça o jornalismo ecofeminista e leve a pauta mais longe.

Zara Bane Definitivamente Lã Angorá De Sua Produção E Doa Estoque De Peças A Refugiados Sírios

Publicada em:
Atualizada em:
Texto
Imagens
min. tempo de leitura
Share on twitter
Share on pinterest
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

O Grupo Inditex, dono da Zara e outras 8 marcas, presente em 88 países, se juntou à lista de mais de 70 marcas, entre elas Asos, French Connection, Calvin Klein, Stella McCartney e Tommy Hilfiger, que baniram de vez a produção de peças com lã de angorá em suas coleções.

Desde 2013, quando o PETA divulgou uma investigação nas fábricas de produção da lã, com vídeos que mostravam os coelhos sendo mal tratados e tendo sua pele retirada enquanto ainda vivos (por Deus, por que todas as fábricas de peles tendem a arrancar a pele dos animais vivos?!), a Zara e mais oito marcas da Inditex pararam de comprar e vender angorá, mas foi só agora que a gigante decidiu banir de vez o produto de suas araras.

Apesar de ter suspendido as vendas das peças, a Zara ainda armazena um estoque de peças estimado em 878 mil dólares que será doado para refugiados da Síria no Líbano, através da organização Life For Relief And Development.

zara-angora
Suéter de angorá da Zara. Só de olhar, já dá alergia.

É claro que a Zara continua não sendo uma boa referência para a moda, mas quando uma empresa desse tamanho resolve finalmente ceder, ela impulsiona outros a tomarem o mesmo caminho, além de poupar milhões de coelhos de um sofrimento horrível. E antes que você se pergunte, não, a produção em massa de lã angorá para a indústria da moda não consegue ser ética.

“Graças à enorme doação da Inditex, o PETA consegue transmitir uma mensagem crucial sobre compaixão com os animais nesse inverno: que apenas pessoas necessitadas de necessidades básicas têm uma desculpa para usar pele que foi arrancada de animais vivos”, disse Ingrid E. Newkirk, presidenta do PETA. “Nós estamos chamando todos as marcas e varejistas que ainda usam produtos derivados de tortura de coelhos para seguir os passo da Inditex e das outras, senão eles verão seus clientes, com carteira em mãos, saírem das lojas”.

Gostando ou não do PETA, temos que admitir mais uma vitória para os direitos dos animais alcançada pelo grupo.

Fotos: Reprodução

* * *

Jornalismo ecofeminista a favor da justiça socioambiental e climática

Para continuar fazendo nosso trabalho de forma independente e sem amarras, precisamos do apoio financeiro da nossa comunidade. Se junte a esse movimento de transformação.

Continue lendo