Novos Caminhos Para a Moda: Circularidade e Praticidade com o Repassa

“Apresentado por: Repassa
 
“Backstage O Backstage é o podcast do Modefica para falar sobre moda a partir de diversos pontos de vista e para muito além do que vemos nas passarelas, nas revistas, no Instagram e nas manchetes. Sempre com convidadxs especiais contando sua trajetória, e junto com nossa editora Marina Colerato, o Backstage debate indústria, carreira, questões de gênero e raça, temas quentes e futuro da moda. Ouça no Spotify, iTunes ou Deezer.

 

Voltamos com mais um Backstage e dessa vez com dois avisos importantíssimos: primeiro, esse é o último episódio dessa saga com início em 2019. Trouxemos diferentes pessoas para debater como criar novos formatos para a moda que conhecemos hoje. De lá para cá, surgiram muitas vozes para continuar essa conversa e chegou a hora de navegarmos em outros mares..
 

 
O segundo aviso é que encerramos com celebração. Nossa parceria com o Repassa vai dar o pontapé inicial no nosso Fundo de Jornalismo Ecofeminista. E para essa despedida celebratória, Tadeu Almeida, fundador do marketplace de moda de segunda mão Repassa esteve conosco. Neste episódio, conversamos sobre como podemos prolongar as vidas das nossas roupas através desse novo formato online de venda e compra de peças de segunda mão e como esse movimento pode gerar diversos impactos positivos socioambientais.

Tadeu começa apresentando o que é o Repassa: criado em 2015, é o primeiro e maior marketplace de venda de roupas, acessórios e vestuário em geral no Brasil. O Repassa nasceu de um desejo de Tadeu de ter um negócio que gerasse impacto positivo no mundo. No começo, o espaço vendia de tudo mas, com a demanda dos usuários pendendo para o segmento da moda, após um ano, o Repassa se tornou exclusivamente para essa categoria. “É um dos modelos que a gente acredita, porque precisamos, sobretudo, diminuir a produção, estender o uso das nossas peças. A gente só usa 30% do que tem no guarda-roupas”, afirma.

Com seis anos de estrada, Marina pergunta se Tadeu sente uma mudança no comportamento dos consumidores. Ele aponta que o mercado de segunda mão vem crescendo 25 vezes mais rápido do que o varejo tradicional e que “as novas gerações estão cada vez mais engajadas social e ambientalmente”. Ele também salienta a importância da divulgação de informações, com a mídia trazendo mais visivelmente os conteúdos sobre os impactos da indústria da moda.

A mudança de consciência também reflete na cultura empresarial. Tadeu explica que, até 2012, só 11% dos investimentos do mundo eram focados em ESG [1], ou seja, governança ambiental, social e corporativa em empresas. Até 2025, a previsão é que esse número aumente para 50% dos investimentos. “Estamos vendo os consumidores direcionando o mercado para um mercado mais saudável para o mundo”, afirma.

 

A diferença de um marketplace gerenciado

Marina pede para que Tadeu explique como ele viabiliza o Repassa – um marketplace gerenciado, ou seja, um espaço que faz todos os passos da revenda da roupa para você. Ao invés do marketplace tradicional no qual o usuário realiza todas as etapas da venda, como fotografar, enviar o produto pelos Correios, no Repassa, esses passos são gerenciados pelo time. Quem utiliza o serviço recebe a Sacola do Bem, no qual é possível colocar até 30 peças. Ao chegar no Repassa, as peças passam pelo controle de qualidade e as aprovadas são fotografadas, cadastradas, armazenadas, vendidas e embaladas para quem comprou.

O usuário que vendeu as peças recebe 60% do valor da venda em saldo e pode utilizá-lo comprando no site, transferindo para sua conta bancária ou doando para as mais de trinta ONGs que são apoiadas – são organizações grandes, como o GRAAC, e pequenas, das mais diversas causas. “Toda causa é válida, todo mundo faz um trabalho que gera impacto positivo”, explica Tadeu. Se o usuário escolher doar 100% do valor das vendas, ele não paga nada para receber a sacola e usar o serviço.

Marina conta de um caso curioso sobre receber roupas indevidas em doações e pergunta se esse tipo de situação já aconteceu no Repassa. Tadeu afirma que o marketplace possui diversos tipos de consumidores e que a maioria das roupas reprovadas são, muitas vezes, roupas com pequenos defeitos, manchas ou rasgadas. Mas ele relembra já terem recebido roupas íntimas usadas e sujas. No caso das roupas não aprovadas, o Repassa dá a opção de devolver a peça ao dono, com um frete a cargo dele, ou doar para projetos sociais parceiros. Tadeu aponta que já foram doadas mais de 200 mil peças.

Já encaminhando para o final do episódio, Marina pergunta quais aprendizados com o Repassa, e esse modelo de gestão de moda, Tadeu aprendeu nos últimos anos e que gostaria de compartilhar conosco. Ele cita três: sobre a importância de pensarmos no nosso consumo; para quem vai empreender: entender que é possível ir moldando seu negócio ao longo dos anos; aprender o que seu cliente quer e deixar isso fluir e fazer o que deixar sua consciência tranquila, seja no trabalho, no consumo, no dia a dia.

Finalizamos contando mais sobre a parceria do Modefica com o Repassa: 50 seguidores do Modefica receberam a Sacola do Bem para enviar seus produtos ao marketplace e uma parte dessa revenda irá para o fundo de jornalismo ecofeminista do Modefica, no qual tratamos de pautas socioambientais de forma interseccional. “É uma forma de unir a circularidade, que falamos tanto, o reuso, incentivando uma mentalidade de olhar para essas roupas que não queremos mais de uma outra forma”, completa Marina, “e também financia o jornalismo que tem sofrido bastante ultimamente”.

Conheça e faça parte do Clube Modefica!
O Modefica é uma mídia independente que pensa moda, arte, alimentação e política para resiliência social e ecológica. Para manter nosso conteúdo aberto e acessível para todas as pessoas, nós precisamos da sua colaboração.
Gostou desse texto? Clique aqui e contribua com o Clube Modefica e ajude nosso conteúdo ir mais longe para amplificar a transformação positiva.
Gostou dessa matéria? Compartilhe.
Tags

.